Textos extraídos da coluna Releitura, Jornal Sinal de Fumaça do Terreiro de Umbanda Tribo de Aruanda.
Procure o seu nas casas de vendas de artigos umbandistas.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Quanto a símbolos ...

Pai Joaquim de Angola enquanto Preto Velho simboliza experiência e humildade. Não só pela forma que se apresenta incorporado, mas também pelos objetos que utiliza habitualmente em seu local de trabalho. 
Símbolos da união... Consegue lembrar algum ? Claro que sim.
O termo símbolo, com origem no grego σύμβολον (sýmbolon), designa um tipo de signo em que o significante(realidade concreta) representa algo abstrato (religiões, nações, quantidades de tempo etc.) por força de convenção, semelhança e/ou aproximação. Simbolizar é tão inerente ao ser humano que quando criança simbolizamos praticamente tudo. Brincando com o Matheus (filho do Pai Márcio e Ana Paula) durante a gira, o simbolizar era tão presente que quase gritei SARAVÁÁ PIAGETT. Porque faria isso ? simples. O pequeno Matheus esta com dois anos e oito meses, fato este que na Teoria do Desenvolvimento de Jean Piaget o enquadra no Estágio Pré-operacional. Também chamado de fase da inteligência simbólica, a criança já distingue um significador (imagem ou símbolo) daquilo que ele significa (o objeto ausente). Por exemplo: estavamos brincando de contar quantas folhas cada galho continha, o meu e o dele. Meu galho tinha menos folhas, porém de tamanho muito maior, enquanto o dele tinha muito mais folhas, porém bem pequenas. Para o Matheus, eu tinha mais folhas que ele, devido ao tamanho das minhas, mesmo tendo apenas 5 e ele 15. No final das contas, com um sorriso, queria levar todas para casa e fazer um carrinho, simbolizando-as de outra forma. SARAVÁ PIAGET.
Conseguiu lembrar alguns símbolos de união? Pai Joaquim falou de respeito às diferenças, oportunidades e principalmente união. Ao sentar para escrever, a única coisa que me veio à cabeça foi a marca de açucar e minha cidade natal, União da Vitória. Estaria eu passando por um estado de esturpor mental, derivado de uma gama muito alta de informações ? Sou daqueles que não vai afundo logo na primeira idéia e fiz questão de relacionar união à símbolo pelo simples fato de partir do abstrato para o concreto. Assim estamos acostumados, assim o faremos por toda eterniade.
O símbolo do Brasil já foi à floresta amazônica, hoje está muito mais relacionado a carnaval e futebol. Assim como o símbolo da páscoa já foi o coelho. Aqui jaz um coelho vencido pelo consumismo. Esta união de exemplos me faz pensar de que forma nossos símbolos vão se transformando e porque alguns permanecem tão fortes? Como a família que deixa o isolamento para trás para dar lugar ao conjunto. E que força tem uma família. Além de união é símbolo de força.
Não quero falar sobre a união que deveríamos ter. Quem sou eu para isso? Mas sim da união que já temos. Encontrei na Tribo uma família. E das fortes. Meu Pai de Santo em seu último comentário no blog <Releitura> relatou o que sentiu no espetáculo da Cia. Dança Masculina Jair Moraes, da qual faço parte. Se bem recordo era algo sobre estar assistindo-o ao lado de, além da sua família de sangue, sua família do terreiro e seus médiuns realizando aquele trabalho em palco. Disse a ele que era exatamente isso que sentia, pois apesar de integrar na Tribo de Aruanda a apenas dois meses, me sinto dentro de uma unida família que tão bem me acolheu.
Hoje, 17 de abril, é dia da voz. Faço questão através deste texto de concretizar meu sentimento, abstrato como tal, a todos os médiuns da casa. Ouçam minha voz ao lê-lo, pois se fosse para simbolizá-los, iria pelo mais simples. Quem sabe o sorriso do Matheus, o som dos atabaques ou mesmo o momento em que damos as mãos para cantar o hino da umbanda. Avante filhos de fé, unidos ao símbolo dos melhores sentimentos.
Minha faixa de vermelha foi para azul. Sem a intenção de gerar tanto impacto nesta alteração do meu Orixá regente, em um primeiro momento gostaria de ser lembrado ao invés de um guerreiro de Ogum, por um grande, bravo e feroz tubarão de Iemanjá. Já digerida a troca por parte do meu imaturo ego, toda vez que entro em meu quarto vejo um fofo golfinho de pelúcia sobre a cama. Sim, o Flipper. Um golfinho, não um bravo e feroz tubarão. Pasmem, meu simbolizar ridículo tentando reduzir uma vibração ao que um animal significa é exemplo do que fazemos o tempo todo. Então, ao simbolizar, seja união ou qualquer outra coisa, lembremos que estamos integrados e co-dependendo sempre um do outro.  Podemos carregar aquilo que nos cerca com qualquer significado. Para mim, união é Tribo.
Que tubarão feroz que nada, cada dia me identifico mais com o Flipper...        

11 comentários:

  1. União. Um ato de se ter, ao menos sentir mais perto. A urgência do encontro, um certo laço.
    Ao ler o texto o que em mim fica é a reflexão

    O que devo unir? O que tem se agregado nesse tempo todo, que sinais (físicos ou imaterial) tem preenchido o que sou?

    Sempre bom pensar por aqui.

    Abraço Mario.

    ResponderExcluir
  2. Otimo seu texto meu amigo,muitas vezes trazemos
    juntos a nos sinais de quem somos ou de como se sentimos por dentro,ao ver a foto de seu golfinho me refletiu sua imagem,de uma pessoa pacata com um dadiva imensa de poder navegar nas aguas de Iemanja,,,deixo uma frase``Nao é o que voce pensa que lhe define mas sim o que faz....``abraçao!!!Jeonan Leandro.

    ResponderExcluir
  3. Otimo seu texto meu amigo,muitas vezes trazemos
    juntos a nos sinais de quem somos ou de como se sentimos por dentro,ao ver a foto de seu golfinho me refletiu sua imagem,de uma pessoa pacata com um dadiva imensa de poder navegar nas aguas de Iemanja,,,deixo uma frase``Nao é o que voce pensa que lhe define mas sim o que faz....``abraçao!!!Jeonan Leandro.

    ResponderExcluir
  4. Certa vez, eu estava na entrevista pra um projeto que seria uma das melhores experiências da minha vida. Estava nervosa e quando me perguntaram sobre os projetos sociais que eu havia desenvolvido, comecei a falar sobre os projetos do clube de que fazia parte e como nós desenvolvíamos tais trabalhos. Quando me perguntaram por quê eu deveria ser selecionada naquele momento, não me veio resposta. Eu sabia que tudo o que eu havia conseguido fazer não tinha a identidade de Renata e sim a identidade do clube, da união de todos que fizeram acontecer. É isso que eu vejo na Tribo hoje. É o todo, formado por tantas pesonalidades diferentes e ímpares. Seu texto me emocionou mto e veio na hora mais propícia possível. Acho que a inspiração que vc teve para falar sobre isso justo agora se chama mediunidade!!

    beijokas

    ResponderExcluir
  5. Marinho, se fosse facil o tema "união" as pessoas não entravam em guerra. Que pena que a referencia do Brasil seja o mercenário carnaval carioca e o explorado futebol. Axé, Fernando Guimarães - Diretor do Terreiro do Pai Maneco

    ResponderExcluir
  6. Marcio - Pai de Santo Tribo de Aruanda19 de abril de 2011 05:41

    E afinal, o que é a união?
    Penso ser a relação que se estabelece desde os primórdios da humanidade, desde os homo sapiens e os Neandertais, na verdade não importa quem ou qual grupo, o importante é o sentimento de que juntos se faz mais e melhor. Se esta relação se estabeleceu quando ainda nem éramos o que somos nos dias de hoje, como seres humanos, quem somos nós para discutir a veracidade do sucesso desta correlação?
    Foi a união que inventou a roda. Mas não dizem que foi o homem? Sinceramente não acredito que a ideia partiu da cabeça de somente um ser, garanto que muitos tiveram participação no todo. Aquela história de que, Nada se cria, tudo se transforma, ou se “copia”! E assim vamos vivendo a vida e tocando o barco, que não tem rodas, mas nos leva sempre, para chegarmos ao mesmo objetivo, Acertar!
    Acertar, nossas vidas com as pessoas, com nosso trabalho, nossa fé. E na Umbanda, acertar nossos karmas, para não ter que voltar para este mundo, do qual nunca queremos que ninguém parta; mas não é controverso tudo isso? É o medo de desunir os laços de afeto que nos fazem lutar e seguir neste mundo. Por isso acho que a melhor invenção foi a roda, que para mim representa a união, os ciclos que todos nossos temos, vários, durante toda nossa vida.
    Então vida a Roda, e os “ciclos” de cada um, e deixemos a Gira girar!!!
    Valeu Marinho, sempre um ótimo texto a cada semana!
    Axé

    ResponderExcluir
  7. Hora muito acertada para falar sobre união. Ótima mensagem, Marinho. Peço a todos, mas especialmente aos meu irmãos de corrente,que reflitam sobre a importância da união. A Tribo tem se portado como uma grande família e agora é a hora do ápice da nossa união.

    Saravá,

    Muito axé.

    Rosa

    ResponderExcluir
  8. A simbologia é um elemento essencial no processo de comunicação. Embora existam símbolos que são reconhecidos no mundo inteiro, outros só são compreendidos dentro de um determinado grupo, como ocorre na umbanda. Nesse domingo comemora-se a Páscoa, que por sinal a minoria sabe o seu verdadeiro significado, lembrando só dos chocolates e do consumismo. Mas enfim, como o autor escreveu no texto acima "podemos carregar aquilo que nos cerca com qualquer signeificado", o importante é tentarmos procurar sempre o melhor. Uma ótima Páscoa com muita UNIÂO, que é isso que mais importa em nossa vida, união familiar, união no trabalho, união no grupo de amigos e assim por diante.

    ResponderExcluir
  9. lindoooooo querido
    Bjs Ana Carol

    ResponderExcluir
  10. Ouvi um Caboclo uma vez dizer que a Umbanda é "a união sem fusão e a separação sem distinção". Essa frase dá muito o que pensar: unir as pessoas, respeitando a individualidade de cada um, podendo cada um fazer a sua parte, independentemente de seu credo, cor, raça etc... mas todos trabalhando para o crescimento e a evolução.

    ResponderExcluir
  11. Muito bom !!!!
    Parabens continue sempre nos prestigiando com seus textos maravilhosos!!!!!!
    Bjssss

    ResponderExcluir